Psicólogos Infantis São Paulo, São Paulo

Encontre Psicólogos Infantis em São Paulo. Aproveite para saber mais sobre o assunto lendo nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre o mesmo.

Clínica de Psicologia Temenos
(11) 5563-0081
r Cafezais, 323, Vl Sta Catarina
São Paulo, São Paulo

Dados Divulgados por
Astrid Winter Psicóloga
(11) 3865-6571
r Espártaco, 479, Vl Romana
São Paulo, São Paulo

Dados Divulgados por
Achiles Acompanhamento Psicológico
(11) 2764-0248
r Cuiabá, 229, Alto da Moóca
São Paulo, São Paulo

Dados Divulgados por
Fátima Aparecida Silva Psicóloga
(11) 3499-2520
r Duarte de Azevedo, 284, Cj 97, Santana
São Paulo, São Paulo

Dados Divulgados por
Aconselhamento Psicológico Myrian Negrão
(11) 3842-6597
av Amaro,Sto, 791, Cj 14, Vl Nova Conceição
São Paulo, São Paulo

Dados Divulgados por
Eduardo Perez Psicólogo
(11) 3865-9780
r Monteiro de Melo, 589, Lapa
São Paulo, São Paulo

Dados Divulgados por
Fátima Aparecida Silva Psicóloga
(11) 3499-2520
r Alfredo Pujol, 545, Cj 63, Santana
São Paulo, São Paulo

Dados Divulgados por
Clinica de Psicologia Ednea & Cleusa
(11) 5071-4119
r Sousa Barros,Prof, 78, São Judas Tadeu
São Paulo, São Paulo

Dados Divulgados por
Psicóloga Dra Maria Aparecida Cunha
(11) 3903-5151
r Henrique Fontenelle,Brig, 737, Sl 2, Prq São Domingos
São Paulo, São Paulo

Dados Divulgados por
Elaine Marília Psicóloga
(11) 2865-5877
r Alfredo Pujol, 197, Santana
São Paulo, São Paulo

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Psicólogos Infantis

Fornecido por:

A., oito anos, é um garoto como tantos outros. Vai à escola, vê desenho animado, gosta de brincar... Tudo como qualquer outro. Mas por que os meninos da escola de A. implicam e agridem o garoto? Porque as pessoas cochicham quando o vêem? A. tem somente um ponto que o diferencia das outras crianças: Ele tem gestos e voz semelhantes às das meninas. E os que o agridem estão, sem saber, praticando homofobia.

Afirmar que A. vai se tornar um adulto homossexual é impossível. Mas, segundo o psicólogo e sexólogo Carlos Boechat, o fato das pessoas, seja os colegas da escola, professores ou até os próprios pais, o tratarem com agressividade é motivado por uma suposição da sexualidade da criança, o que leva a uma repreensão motivada por homofobia. A sociedade é homofóbica. O pai tem medo do filho se tornar homossexual , explica o sexólogo.

S.L., 32 anos, mãe da A., que prefere não se identificar em favor da criança,


...

Clique aqui para ler este artigo no Minha Vida