Vinhos São Paulo, São Paulo

Veja no artigo abaixo os benefícios do uso do vinho e suas propriedades funcionais. Um estudo do Hospital Corporativo de Epidemiologias da Dinamarca concluiu que a ingestão moderada de vinhos reduz em 50% os riscos de problemas cardiovasculares. Leia mais...

Aldeia da Villa Bar e Restaurante
(11) 2978-5564
uiz Dumont Villares, 628 Jardim São Paulo - Zona Norte
São Paulo, São Paulo

Dados Divulgados por
La Cazzarola Restaurante e Pizzaria
(11) 5668-7480
av Papini, 159
São Paulo, São Paulo

Dados Divulgados por
Barnabé Restaurante & Cachaçaria
(11) 2242-2435
prç Comandante Eduardo de Oliveira, 147 Parque Edu Chaves
São Paulo, São Paulo

Dados Divulgados por
Badejo Restaurante
(11) 5055-0238
Alameda dos Jurupis, 813 Indianópolis
São Paulo, São Paulo

Dados Divulgados por
Acustico Bar Restaurante Ltda
(11) 3031-5620
r Agissê, 195 Jardim Das Bandeiras
São Paulo, São Paulo

Dados Divulgados por
Donavilla Restaurante e Pizzaria
(11) 2954-8841
av Cerejeiras, 41 Jardim Japão
São Paulo, São Paulo

Dados Divulgados por
Restaurante Daisho
(51) 3028-0196
av João Obino, 345, Petropolis
Porto Alegre, Rio Grande do Sul

Dados Divulgados por
Af Oliveira Restaurante
(11) 5012-5521
av Eng Armando Arruda Pereira, 648 Jabaquara
São Paulo, São Paulo

Dados Divulgados por
Paparicos Serviço de Buffet e Restaurante
(11) 3813-3123
r Medeiros de Albuquerque, 338 Jardim Das Bandeiras
São Paulo, São Paulo

Dados Divulgados por
Hongané Restaurante
(11) 3758-0502
Morumbi, 6774 Morumbi
São Paulo, São Paulo

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Vinhos

Equipe Portal Orgânico
Chef Renato Caleffi

Há três mil anos, o vinho já era utilizado pelos egípicios como alimento funcional. Há mais de 200 anos, há relatos de sua recomendação por médicos, quando a Inglaterra decidiu transformar a Austrália em uma colônia penal, durante a viagem de barco, muitos condenados ficavam doentes. Recomendado pelos médicos a bordo, eles começaram a beber o vinho para alívio da dor e cura. Diante dos resultados positivos, os próprios doutores resolveram investir em vinícolas em Sydney para não depender dos vinhos europeus; o vinho então passou a ser recomendado em hospitais psiquiátricos, inclusive.

Um estudo do Hospital Corporativo de Epidemiologias da Dinamarca concluiu que a ingestão moderada de vinhos reduz em 50% os riscos de problemas cardiovasculares e os destilados aumentam os riscos em 30% e as cervejas não fazem bem nem mal, se tomadas em pequenas doses. O vinho possui inúmeros benefícios à saúde, a principal é a redução de até 50% dos problemas cardiovasculares.

Contribui na diminuição do mau colesterol e aumenta o colesterol saudável, torna o sangue mais fino, é anticoagulante e antioxidante. Pesquisas confirmam que o vinho reduz em 24% o risco de câncer, aumenta a imunidade contra gripes e resfriados, diminuem a ocorrência de pedras nos rins e auxilia a prevenir a diabetes, e comprovam que a ingestão de vinho, diariamente, reduz em até 34% os riscos de adquirir a doença de catarata.

Não há nenhum estudo que aponte vantagens medicinais entre tomar pela manhã ou à noite. Evidentemente, que, por questão de bom senso, é melhor beber durante o jantar. A quantidade diária varia do homem para a mulher, o recomendado é a ingestão até dois copos para o homem e um para a mulher todo o dia. O vinho funciona como uma vitamina que deve ser tomada regularmente. Cumpre salientar a importância que o vinho tem de ser do tipo orgânico para a seguridade do aspecto funcional.

As antocianinas (flavonóides) possuem componentes bioativos distribuídos nos alimentos vegetais, sua principal função é inibir a produção de radicais livres, uma de suas principais fontes são as uvas (NETZEL et al.,2001).

O que pode tornar um alimento funcional é a presença fitoquímicos, substâncias bioativas que contribuem para uma ótima saúde. Estão presentes em frutas e vegetais, que lhes conferem cor, sabor, odor, tais como os flavonóides, resveratrol, ácidos fenólicos, beta-caroteno, catequinas, lignana, licopeno, isoflavona, entre outros (CRAVEIRO & CRAVEIRO, 2003).

O efeito protetor do vinho é influenciado pela ação dos flavonóides e pela ação do álcool, cujo consumo moderado está relacionado a menores taxas de mortalidade por doença coronariana. Pesquisas demonstraram que os flavonóides presentes na uva, principalmente nas uvas vermelhas, e que quando incorporadas ao vinho tinto ou suco de uva, podem agir como substâncias antioxidantes, reduzindo o risco de doenças cardiovasculares. (Chemin e Mura, 2007)

O resveratrol é uma substância famosa que visa combater doenças cardiovasculares, É capaz de inibir o vírus da Gripe, devido à ação antioxidante. Também está presente na casca uva, como a niagara e em derivados como vinho branco e tinto, embora haja discussões a respeito do baixo teor em vinhos brancos, pois o mesmo é elaborado com a polpa e não da casca; estudos indicam que as duas variedades são recomendáveis quando se trata de benefício à saúde.

Estável ao calor, preparações como reduções e molhos, garantem sua importância na gastronomia funcional. Ao se reduzir um vinho tinto com especiarias, o que tradicionalmente chama-se glace, mantém-se o principio ativo do resveratrol e o de especiarias.

Veja no tópico: "RECEITAS", diversos pratos preparados com vinhos, além de deliciosos tipos de molhos, elaborados pelo nosso Chef Renato Caleffi.

Fonte: Chef Renato Caleffi

Clique aqui para ler este artigo na Portal Gastronomia