Avaliação do Mégane Grand Tour 1.6 da Renault Porto Alegre, Rio Grande do Sul

Avaliamos o Renault Mégane Grand Tour equipado com motor 1.6 16V Hi-Flex. Assim como o modelo sedan, esta perua se destaca pelo desempenho, conforto e segurança. E, de quebra, ela ainda consegue ser mais bonita e - pasmem! - deixar seus ocupantes mais belos! Isso mesmo! Quem entra neste automóvel corre o risco de levar cantadas inesperadas!

Big Automoveis Ltda
(51) 3340-0000
av Assis Brasil, 3533, Passo D'Areia
Porto Alegre, Rio Grande do Sul

Dados Divulgados por
Barreto's Comercio de Veiculos Ltda
(51) 3331-1759
r Anita Garibaldi, 680, Cj 501, Mont Serrat
Porto Alegre, Rio Grande do Sul

Dados Divulgados por
Bock & Carlos Comercio de Veiculos Automotores Ltda
(51) 3223-1110
r Veras,Mons, 816, Santana
Porto Alegre, Rio Grande do Sul

Dados Divulgados por
Auto Republica Ltda
(51) 3224-1652
r República, 33, Cid Baixa
Porto Alegre, Rio Grande do Sul

Dados Divulgados por
Caldart Veiculos Ltda
(51) 3344-6868
r Adda Mascarenhas de Moraes,Da, 65, Tr, Jd Itu Sabará
Porto Alegre, Rio Grande do Sul

Dados Divulgados por
A J I Comercio de Veiculos Ltda
(51) 3344-9595
av Assis Brasil, 5750, São Sebastião
Porto Alegre, Rio Grande do Sul

Dados Divulgados por
4.1 Comercio de Veiculos Ltda
(51) 3336-3985
av Ipiranga, 4001, Azenha
Porto Alegre, Rio Grande do Sul

Dados Divulgados por
C G Veiculos Ltda
(51) 3022-5000
av Assis Brasil, 4055, São Sebastião
Porto Alegre, Rio Grande do Sul

Dados Divulgados por
Acropole Veiculos Ltda
(51) 3233-2800
av Oscar Pereira,Prof, 1870, Glória
Porto Alegre, Rio Grande do Sul

Dados Divulgados por
Indy Veículos Ltda
(51) 3347-2444
av Baltazar de Oliveira Garcia, 131, São Sebastião
Porto Alegre, Rio Grande do Sul

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Avaliação do Mégane Grand Tour 1.6 da Renault

Fornecido por:

Linda e Poderosa

 

Avaliamos o Renault Mégane Grand Tour equipado com motor 1.6 16V Hi-Flex. Assim como o modelo sedan, esta perua se destaca pelo desempenho, conforto e segurança. E, de quebra, ela ainda consegue ser mais bonita e - pasmem! - deixar seus ocupantes mais belos! Isso mesmo! Quem entra neste automóvel corre o risco de levar cantadas inesperadas!

 

Ah, você não acredita? Pois estava eu, numa quarta-feira à tarde, dirigindo o Mégane Grand Tour cedido pela Renault para avaliação, quando o sinal fecha e, ao meu lado, pára um motociclista. Ele olha para o carro, olha para mim e dispara: "Isso sim é a verdadeira fusão entre a beleza e o poder. Você é linda e poderosa!"

 

Antes mesmo de eu entender o que estava acontecendo, ele arrancou sua moto e sumiu. Então, caí na gargalhada, afinal, justo naquela tarde, eu era - sem exagero - o desmazelo em pessoa. Não havia passado sequer um batonzinho. Meus cabelos estavam presos em um desajeitado rabo-de-cavalo e, para piorar a situação, minha roupa era a mais "nada-sexy" do planeta: calça jeans e camisão branco.

 

Conclusão: o único motivo para alguém me achar "linda e poderosa" era o automóvel que eu conduzia. E que automóvel... A versão Grand Tour do Renault Mégane é daqueles carros de teste que a gente não tem a menor vontade de devolver. Juro por Deus, foi "doloroso" voltar à concessionária e deixar o carro para que outro jornalista pudesse avaliá-lo.

 

Mas afinal, o que essa perua tem que as outras não têm? Bom, além de deixar os condutores mais "bonitos e poderosos", como podemos comprovar anteriormente, o Mégane Grand Tour se destaca pelo conforto, espaço, segurança e desempenho.

 

Este último foi o que mais nos surpreendeu, uma vez que o modelo em questão era o de motor mais fraco, o 1.6 16V Hi-Flex, que rende 110 cv quando abastecido com gasolina e 115 cv com álcool - além da motorização 1.6 16V Flex, o Mégane pode ser equipado com o propulsor 2.0 16V a gasolina,   de 138 cv de potência. A sensação que se tem ao acelerar essa perua é a de que há mais do que 115 cavalinhos debaixo do capô, mesmo eles sendo legítimos puros-sangues.

 

Apesar do peso (cerca de 1.300 quilos segundo o fabricante), o Mégane Grand Tour 1.6 16V Hi-Flex esbanja agilidade no trânsito. Em uma cidade como Belo Horizonte, onde não faltam subidas íngremes, essa perua não fez feio. Subiu ladeiras com a terceira marcha engatada sem reclamar. As arrancadas e retomadas de velocidade também surpreenderam. Mesmo estando o carro mais pesado (dois adultos, duas crianças e bagagens), ele continuou esperto, inclusive realizando ultrapassagens com segurança nos testes de estrada.  

 

Em trechos sinuosos, o carro provou ter estabilidade e conforto de sobra. Mas o que mais nos chamou a atenção foi o reduzido nível de ruído a bordo, em qualquer situação de rodagem e piso. Também superou nossas expectativas o espaço interno. Cinco adultos (ou, como foi nosso caso, três adultos e duas crianças em suas respectivas cadeirinhas) viajam com total comodidade. E o bagageiro é enorme ( 520 litros segundo a Renault)! Cabe carrinho de bebê, velocípede, malas, sacolas, enfim, toda a tralha de uma família para uma viagem.

 

Palmas também para a ergonomia. Todos os comandos caem como luvas nas mãos do motorista. Apenas a alavanca do freio de estacionamento - em formato parecido ao de um manche de avião - é um pouco pesada, exigindo um esforço maior do motorista para puxá-la até o final do curso. Diferente também é a chave, que na verdade é um cartão. Para ligar o carro basta inserir o tal cartão no painel e apertar um botão com os dizeres "start". Chique demais!

 

O Mégane Grand Tour 1.6 16V Hi-Flex tem preço inicial de R$ 65.990,00 (nada é perfeito!) e sai de fábrica equipado com duplo airbag, freios a disco nas quatro rodas com sistema ABS (anti-travamento das rodas), direção elétrica com assistência variável, ar-condicionado, computador de bordo, CD Player, vidros dianteiros e traseiros elétricos com função "one touch" e sistema anti-esmagamento, retrovisores e travas também elétricos, faróis de neblina, entre outros. Os opcionais são o Pack Couro (CD Charger mais bancos em couro) que custa R$ 3.600,00 ou apenas o CD Charger, que tem preço sugerido de R$ 1.070,00, além de pintura metálica (R$ 870,00).

             

    

Clique aqui para ler este artigo na Autopista.com