Avaliação do Mégane Grand Tour 1.6 da Renault Florianópolis, Santa Catarina

Avaliamos o Renault Mégane Grand Tour equipado com motor 1.6 16V Hi-Flex. Assim como o modelo sedan, esta perua se destaca pelo desempenho, conforto e segurança. E, de quebra, ela ainda consegue ser mais bonita e - pasmem! - deixar seus ocupantes mais belos! Isso mesmo! Quem entra neste automóvel corre o risco de levar cantadas inesperadas!

Alfa Veiculos Ltda
(48) 3334-0941
av Benvenuta,Md, 1265, Lj 1, Sta Mônica
Florianópolis, Santa Catarina

Dados Divulgados por
Auto Mercantil Veículos Ltda
(48) 3240-6246
r Santos Saraiva, 654, Estreito
Florianópolis, Santa Catarina

Dados Divulgados por
Ativacar Automoveis Ltda
(48) 3035-4006
av Josué di Bernardi, 190, Jd Atlântico
Florianópolis, Santa Catarina

Dados Divulgados por
Auto Sport Comércio de Veículos Ltda
(48) 3025-1616
r Luiz Delfino, 210, Centro
Florianópolis, Santa Catarina

Dados Divulgados por
Boaventura Automovéis Ltda
(48) 3035-3673
av Josué di Bernardi, 850, Jd Atlântico
Florianópolis, Santa Catarina

Dados Divulgados por
Bom Jesus Comercio de Veiculos Ltda
(48) 3028-9331
av Max Schramm,Marinh, 2435, Coloninha
Florianópolis, Santa Catarina

Dados Divulgados por
Alfa Veículos Ltda
(48) 3334-0941
av Benvenuta,Md, 1265, Lj 1, Sta Mônica
Florianópolis, Santa Catarina

Dados Divulgados por
Adilson Comércio de Veículos Ltda
(48) 3024-4745
av Max Schramm,Marinh, 3526, Coloninha
Florianópolis, Santa Catarina

Dados Divulgados por
Ativacar Automovéis Ltda
(48) 3035-4006
av Josué di Bernardi, 190, Jd Atlântico
Florianópolis, Santa Catarina

Dados Divulgados por
Boaventura Automoveis Ltda
(48) 3035-3673
av Josué di Bernardi, 850, Jd Atlântico
Florianópolis, Santa Catarina

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Avaliação do Mégane Grand Tour 1.6 da Renault

Fornecido por:

Linda e Poderosa

 

Avaliamos o Renault Mégane Grand Tour equipado com motor 1.6 16V Hi-Flex. Assim como o modelo sedan, esta perua se destaca pelo desempenho, conforto e segurança. E, de quebra, ela ainda consegue ser mais bonita e - pasmem! - deixar seus ocupantes mais belos! Isso mesmo! Quem entra neste automóvel corre o risco de levar cantadas inesperadas!

 

Ah, você não acredita? Pois estava eu, numa quarta-feira à tarde, dirigindo o Mégane Grand Tour cedido pela Renault para avaliação, quando o sinal fecha e, ao meu lado, pára um motociclista. Ele olha para o carro, olha para mim e dispara: "Isso sim é a verdadeira fusão entre a beleza e o poder. Você é linda e poderosa!"

 

Antes mesmo de eu entender o que estava acontecendo, ele arrancou sua moto e sumiu. Então, caí na gargalhada, afinal, justo naquela tarde, eu era - sem exagero - o desmazelo em pessoa. Não havia passado sequer um batonzinho. Meus cabelos estavam presos em um desajeitado rabo-de-cavalo e, para piorar a situação, minha roupa era a mais "nada-sexy" do planeta: calça jeans e camisão branco.

 

Conclusão: o único motivo para alguém me achar "linda e poderosa" era o automóvel que eu conduzia. E que automóvel... A versão Grand Tour do Renault Mégane é daqueles carros de teste que a gente não tem a menor vontade de devolver. Juro por Deus, foi "doloroso" voltar à concessionária e deixar o carro para que outro jornalista pudesse avaliá-lo.

 

Mas afinal, o que essa perua tem que as outras não têm? Bom, além de deixar os condutores mais "bonitos e poderosos", como podemos comprovar anteriormente, o Mégane Grand Tour se destaca pelo conforto, espaço, segurança e desempenho.

 

Este último foi o que mais nos surpreendeu, uma vez que o modelo em questão era o de motor mais fraco, o 1.6 16V Hi-Flex, que rende 110 cv quando abastecido com gasolina e 115 cv com álcool - além da motorização 1.6 16V Flex, o Mégane pode ser equipado com o propulsor 2.0 16V a gasolina,   de 138 cv de potência. A sensação que se tem ao acelerar essa perua é a de que há mais do que 115 cavalinhos debaixo do capô, mesmo eles sendo legítimos puros-sangues.

 

Apesar do peso (cerca de 1.300 quilos segundo o fabricante), o Mégane Grand Tour 1.6 16V Hi-Flex esbanja agilidade no trânsito. Em uma cidade como Belo Horizonte, onde não faltam subidas íngremes, essa perua não fez feio. Subiu ladeiras com a terceira marcha engatada sem reclamar. As arrancadas e retomadas de velocidade também surpreenderam. Mesmo estando o carro mais pesado (dois adultos, duas crianças e bagagens), ele continuou esperto, inclusive realizando ultrapassagens com segurança nos testes de estrada.  

 

Em trechos sinuosos, o carro provou ter estabilidade e conforto de sobra. Mas o que mais nos chamou a atenção foi o reduzido nível de ruído a bordo, em qualquer situação de rodagem e piso. Também superou nossas expectativas o espaço interno. Cinco adultos (ou, como foi nosso caso, três adultos e duas crianças em suas respectivas cadeirinhas) viajam com total comodidade. E o bagageiro é enorme ( 520 litros segundo a Renault)! Cabe carrinho de bebê, velocípede, malas, sacolas, enfim, toda a tralha de uma família para uma viagem.

 

Palmas também para a ergonomia. Todos os comandos caem como luvas nas mãos do motorista. Apenas a alavanca do freio de estacionamento - em formato parecido ao de um manche de avião - é um pouco pesada, exigindo um esforço maior do motorista para puxá-la até o final do curso. Diferente também é a chave, que na verdade é um cartão. Para ligar o carro basta inserir o tal cartão no painel e apertar um botão com os dizeres "start". Chique demais!

 

O Mégane Grand Tour 1.6 16V Hi-Flex tem preço inicial de R$ 65.990,00 (nada é perfeito!) e sai de fábrica equipado com duplo airbag, freios a disco nas quatro rodas com sistema ABS (anti-travamento das rodas), direção elétrica com assistência variável, ar-condicionado, computador de bordo, CD Player, vidros dianteiros e traseiros elétricos com função "one touch" e sistema anti-esmagamento, retrovisores e travas também elétricos, faróis de neblina, entre outros. Os opcionais são o Pack Couro (CD Charger mais bancos em couro) que custa R$ 3.600,00 ou apenas o CD Charger, que tem preço sugerido de R$ 1.070,00, além de pintura metálica (R$ 870,00).

             

    

Clique aqui para ler este artigo na Autopista.com